segunda-feira, dezembro 26

Entrelinhas


Passara da quarta ou quinta página e não queria saber de outra coisa. Os caminhos que desejava percorrer eram os detalhados nas páginas do livro. Seu maior problema era o drama descrito naquelas linhas. Quando o fechara, trocava o nome de seus familiares e amigos, sem ao menos perceber, pelos nomes dos personagens da história que estava vivendo. 
A noite, seu bem estar provinha dos sonhos reais - o das páginas. E ao acordar, vivia o pesadelo de sua realidade sem frases escritas. 
Chegou ao ponto indecifrável de sonho e realidade, numa situação incalculável do que era certo e o que era página. O que era seu e o que estava apenas escrito. Quem era e o que escrevi-sentia. Em determinadas noites era princesa épica lutando contra loucos contemporâneos, noutras era menino sem endereço com capa de chuva invisível. 
Perdera a noção de tempo e espaço e se achara nos livros. Onde cada vez mais tinha facilidade para solucionar problemas e viver aventuras devido à vasta experiência de páginas. Quando os olhos cansavam embalava-se na rede do sono e embarcava em um outro mundo. Mais uma página, outra... E outra. 

domingo, dezembro 25

Um pôr do sol (:


O que será o fio da meada? Quem rege essa magia dos encontros e desencontros? É estranho você se depara com uma pessoa que capítulos atrás teve uma ligeira atuação na sua vida. Em um dia ela é figurante e quatro anos depois protagonista.. Que coisa, não?!
Acho que somos nós mesmos que controlamos essa magia.. Somos nós que controlamos. A medida que damos valor a cada bom dia que recebemos, enfim, não deixando passar despercebidos os momentos singelos.

terça-feira, dezembro 20

If you believe in love at first sight , you never stop looking


Eu ainda não consegui encontrar palavras para descrever o que eu sinto ao ouvir essa música. 
Por certo, me faz um bem - diferente. 

terça-feira, dezembro 13

Antes dos quinze




- Eu tenho plena consciência, que tenho muito a aprender, sei que posso ter muito pra viver, mas tenho que aproveitar o hoje. Que as perdas veem para o nosso crescimento e que as coisas não acontecem por acaso.Tudo o que eu vivi, as minhas atitudes, caracterizam o meu ser. O que sou e me renovo a cada dia, nesses quase quinze anos.São muitos os sentimentos, os descritíveis, os irreversíveis, irremediaveis, insanos e intensos.. Há aqueles, que surgem do ato singelo e trazem uma alegria imensa, aqueles que se alojam, e aos poucos vão crescendo, crescendo e fazendo um bem danado. Tem aqueles, que por mais inofensivos que possam parecer, nos deixam mal, pra baixo.. Por mais que seja contra a nossa vontade, as vezes eles acabam conseguindo.

A atitude das pessoas, aah como fazem aflorar sentimentos. O fato de esperar demais uma atitude alheia, faça bem ou faça mal, acontece. Os sentimentos, fazem parte.

São tantos os acontecimentos, isso, mesmo na monotonia, não pára. Mesmo o meu universo estando parado, o mundo ao meu redor, nunca parou. Por mais que as vezes eu tivesse essa sensação. Sensação que é aparente, durante aquele aperto de saudade, aquele abraço forte e sincero, aquele beijo apaixonado, aquela ligação de pensamentos. O tempo não pára, disse o cara!

As circunstâncias, as incertezas, tantas coisas! 

Mas, foram quinze anos vividos, bem vividos, bem aproveitados. Oscilando entre altos e baixos, filtrando energias boas, fazendo amigos! Aah, os amigos! Eles, fazem parte.. São o recheio do meu bolo enfeitado! A eles eu agradeço, só por existirem na minha vida! Pelas palavras, pela companhia, pela cumplicidade, por fazerem os meus dias mais amenos, por sorrirem pra mim, por gritarem o meu nome, por pensarem em mim. Por serem o que são, pessoas maravilhosas e cheia de diferenças e defeito. São os que me dão forças pra seguir, são grande parte dos meus motivos pra seguir, o sentimento compartilhado, por mais que os caminhos mudem, por mais que a vida nos separe, ou a distancia afaste, se eterniza. Cada gesto, tudo, tudo e tudo. Eu agradeço! Sempre, se eternizam. Por ter vocês, eu não preciso de heróis.

Se hoje estou aqui, é porque segui sempre com uma base, a estrutura do que sou. Minha família, os meus anjos da guarda! O sangue e o nome que compartilhamos.. Aos mais distantes, simplesmente familia. E resumidamente, eu agradeço, família!

entendo a minha cabeça no lugar, há algo maior que rege o meu caminho.. que olha sempre os meus passos, que sempre, sempre esta comigo. E o que eu divido com Ele, é nosso. Ter essa guarda, é mais que divina. É quando os meus olhos não podem enxergar a frente, o sorriso dele me guia, me acalma e alivia os tormentos do meu pensamento. É quem me dá bom dia, e diz vá em frente todo dia. É um exemplo, por existir. Pelas forças e poder, por ser tão sublime, simplesmente.

E as energias, as boas se eternizam, as ruins voltam pra quem mentalizou e depois evaporam! 
O bom a gente aproveita, o ruim a gente descarta!
- São quinze, maravilhosos, os primeiros, o começo! Cabeça abeta, fazer valer, pensamento positivo, e viver para ver! ☼'   



Em 20 de dezembro de 2009, Resende - RJ. 

Karen Garcia, há dois anos atrás. 

Sexta-feira, 19 de março de 2010



Eis que o monstro de sete cabeças

era iniciado a preencher-se por um algo sentido.

Tal que não queria explicações,
apenas queria sentí-lo;
Enquanto pudesse aguentar.

quinta-feira, dezembro 8

Augusto Machado ♥


Quem se vai deixa saudade e lágrimas. O que será que levamos da vida? O será que deixamos aqui? 
Os sorrisos, os abraços, os momentos... Esses ficam na memória de quem fica e quem vai, talvez leve a certeza da missão cumprida. 
A energia que fica não acaba nunca, as lembranças não se apagam. E embora o tempo não volte atrás, Deus nos acalenta e certifica que quem foi descansa em paz. 

domingo, dezembro 4

Mudanças - Parte Dois

É como um banho de água fria, no primeiro instante tem um certo choque e depois, é refrescantemente aliviador.  A ideia de mudança, embora interessante, é um tanto perturbadora e a adaptação é um doce bom que você come aos poucos e quando acaba, não se dá nem conta.

sexta-feira, dezembro 2

É meu (:


O meu sorriso é sempre o mesmo, ele oscila apenas em seu grau de felicidade. Muitas vezes, dele saem gargalhadas inesperadas, bem naquele momento inoportuno, mas, que não dá para segurar. É irônico, patético e pragmático. Mas, é meu. 

terça-feira, novembro 29

Move on



Hoje eu senti falta do tempero caseiro e das brincadeiras no quintal. 
Eu senti falta de colo, de casa e de cheiro de terra molhada. 
Por alguns instantes eu quis não alcançar a maçaneta da porta e a prateleira de doces da geladeira. 

Eu ia chorar, pela certeza de que alguém chegaria e me colocaria no colo. 
Alguém ia tirar a minha atenção daquele problemão que eu tinha em menos de dois minutos. 
Até porque, eu já nem lembraria mais o motivo do choro. 
Pra sempre seria verão. O parquinho não ia sair do lugar. O algodão-doce ia ser para sempre saboroso. 

( Karen Garcia

domingo, novembro 27

A tal fita métrica


Como se mede uma pessoa? Os tamanhos variam conforme o grau de envolvimento. Ela é enorme pra você quando fala do que leu e viveu, quando trata você com carinho e respeito, quando olha nos olhos e sorri destravado. É pequena pra você quando só pensa em si mesmo, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: a amizade.


Uma pessoa é gigante pra você quando se interessa pela sua vida, quando busca alternativas para o seu crescimento, quando sonha junto. É pequena quando desvia do assunto.



Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma. Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos clichês.



Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro de um relacionamento, pode crescer ou decrescer num espaço de poucas semanas: será ela que mudou ou será que o amor é traiçoeiro nas suas medições? Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande. Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo.



É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos. Nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de ações e reações, de expectativas e frustrações. Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhê-la inesperadamente, se torna mais uma. O egoísmo unifica os insignificantes.



Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande. É a sua sensibilidade sem tamanho.


Tão diferente e tão igual



Hoje eu acordei numa casa diferente, num quarto diferente, sem nenhuma muleta, sem nenhuma maquiagem, meus amigos estão ocupados, meus pais não podem sofrer por mim. Hoje eu acordei sem nada no estômago, sem nada no coração, sem ter para onde correr, sem colo, sem peito, sem ter onde encostar, sem ter quem culpar. Hoje eu acordei sem ter quem amar, mas aí eu olhei no espelho e vi, pela primeira vez na vida, a única pessoa que pode realmente me fazer feliz.
Tati Bernardi

Parafusos

Hoje é domingo. O pé está sem cachimbo e minha cabeça está cheia de parafusos. 
Amanhã tenho três provas na escola - é escola, ainda estou no ensino médio - e estudei um pouco, apenas. Queria dormir, mas, preciso enfrentar os meus reais fantasmas. Só tenho a mim e o meu sucesso depende do meu esforço. Se amanhã não tiver onde cair, eu tenho o mundo nas minhas mãos. Entretanto, não posso parar. 
Um, dois, três. É melhor respirar e não fazer tempestade em copo d'água. A vida é dura pra quem é mole. Vou estudar *:
( Karen Garcia

Sem ponto ou vírgula

 - quero uma história sem pontuação é o que eu sinto nos dias de chuva e vento forte meu coração balança dentro do peito eu tenho muito espaço para amar é necessário ser mais que um - 
( Karen Garcia

sábado, novembro 26

Algum dia


Ninguém nunca te disse como ser tão imperfeito. Você tem tão pouca chance de alcançar o seu destino. É fácil fazer parte de um mundo tão pequeno, onde amigos invisíveis nunca ligam outra vez. Talvez até porque, ninguém ligue pra você.  
Se você quer que eu feche os olhos, pra alguém que foi viver algum dia lá fora. E nesse dia, se o mundo acabar, não vou ligar pra aquilo que eu não fiz
Faz muito pouco tempo, aprendi a aceitar, quem é dono da verdade, não é dono de ninguém. Só não se esqueça que atrásdo veneno das palavras, sobra só o desespero de ver tudo mudar. Talvez até porque ninguém mude por você. 


sexta-feira, novembro 25

Muito meu


Quando longe, te faço perto 
Quando fora, te faço dentro
Quando medo, te acalento 
Afastando qualquer pesadelo. 

Quando triste, o meu sorriso
Quando longe, o meu calor
Quando frio, te dou abrigo
Colando meu corpo ao teu. 

Eu poderia pensar em tudo de mais bonito, querendo você no infinito. Mas, o agora me basta - agora. 

( Karen Garcia



quinta-feira, novembro 24

Mudanças

Eu vou para Goiânia Resende; 

E depois de um ano e quatro meses, eu me vejo pensando em voltar para minha cidade natal. Eu não vejo problema em mudanças e para ser sincera, eu até gosto. Poderia dizer que gosto de sofrer, mas, na verdade.. Eu acho que enjoo um pouco das coisas - ou  talvez pense assim só para conseguir superar o sofrimento - e enjoe um pouco de mim.
Um ano e quatro meses, são dezesseis meses. Minha mudança será, provavelmente no começo de fevereiro do ano que vem. O que totalizam dezenove meses. O que completa um ano de Ilha Grande. É muita informação.
Se levarmos em conta que: nasci em Resende (1994), me mudei para Garatucaia (Angra dos Reis/RJ) e lá vivi até 4 anos (1998). Voltei para Resende, morei até os 12 anos (2006). Me mudei para o centro de Angra dos Reis, fiquei 7 meses. Fui morar em Garatucaia com meu pai (dez/2006). Fiquei com ele até 14 anos (fevereiro/2008) e voltei para Resende. E finalmente, me mudei novamente para Garatucaia (julho/2010). Depois disso, fui morar em um lugar chamado Ilha Grande (Angra dos Reis/RJ) com completos 16 anos (fevereiro/2011) e é nesse lugar que eu vivo até hoje. (novembro/2011) [ufaaaa]
Pois bem. Já estou pensando em mudar (novamente).
Há uma semana, eu estava com uns amigos e mencionei a possibilidade de sair do lugar que eu estava. Comentei sobre a necessidade de mais qualidade de ensino. Um deles soltou "Karen é nômade". Eu simplesmente fiquei pasma, pois nunca tinha visto por este ponto de vista. Não deixei transparecer meu espanto, mas, fiquei pensando comigo.
"Nômade, eu?" - parei para analisar e não poderia ter apelido mais carinhoso e sincero.
Eu não quero pensar em detalhes de mudanças, em rotina ou em como eu vou sentir saudades da Ilha Grande, das pessoas e da minha pacata vida agitada insular.
Voltar para um município, onde vivi grande parte da minha vida. Onde se encontram grande parte das pessoas que eu conheço, chega a ser um tanto assustador. Encarar tudo o que eu já tive. Reviver os errôneos fatos cômicos, entre outras coisas. Nem imagino como poderá ser.
Dentro de mim, neste momento, existe um pouco de ansiedade, alegria e uma pontinha de medo. O que será um retorno depois de tanta coisa vivida fora dali. Por que a questão não é quanto tempo fiquei fora, mas, o que vivi fora e que não será compatível com meu meio de vida naquele lugar. Vamos vivendo para ver, se der mesmo certo, as coisas irão se encaixar no seu devido tempo.  
( Karen Garcia )  

Doce limbo

Eu estou em um vazio quarto de hotel, mas, sei que você combinaria com a decoração. 
E se eu apagasse a luz, os nossos olhares iriam brilhar. 
Mãos, lábios, pele e abraços iriam se encontrar no infinito desse colchão. 
Eu poderia zelar pelo teu sono a noite inteira e afastar qualquer pensamento ruim. 
E de manhã, acordar com cantoria fazendo então assim o dia nascer azul.

 ( Karen Garcia ) 

quarta-feira, novembro 23

Todos os caminhos





Eu já me perguntei se o tempo poderá realizar meus sonhos e desejos. Será que eu já não sei por onde procurar? Ou todos os caminhos dão no mesmo? E o certo é que eu não sei o que virá. Só posso te pedir que nunca se leve tão a sério, nunca se deixe levar, que a vida é parte do mistério. É tanta coisa pra se desvendar. Por tudo que eu andei e o tanto que faltar, não dá pra se prever nem o futuro. O escuro que se vê, quem sabe pode iluminar os corações perdidos sobre o muro. E o certo que eu não sei o que virá. Só posso te pedir que nunca se leve tão a sério, nunca se deixe levar que a vida. A nossa vida passa  e não há tempo pra desperdiçar.

(  Lenine  )

O ato de amar é eterno.

Provérbios e bocas mal sabidas do mundo por trás desta muralha de mentes formadas dizem-nos com função de ensinar-nos: amor é eterno, tenhas certezas ao pronunciar o verbete amar, pois se amas, cria contratos e juras para entrelaçar teus dedos nos mesmos outros dedos até a eternidade. Desprovidos de sabedoria, ditam-nos leis para o sentir, e após, contradizem-se querendo controlar o que não controla-se: sentimento. Pois não doma-se o sentir. Mas digo-te, caro, que em partes, falsos sábios sem escrúpulos cometem certezas: amar é eterno… Em partes, é eterno. Por isso, revelo-te: o ato de amar é eterno. Tua direção é que não é. Pois quando ama-se, perde tua estrada e desvirtua teus passos, encontra-se no perder das almas, e partidas que partem-nos, uma hora, sempre partem… E temos que mudar – seja lá qual ela for – a nossa direção do amar. Então, nunca jures amor eterno. Mas sim, amar eterno. Porque a direção do nosso querer, perde-se nas fadigas do tempo, entretanto, o amor é como o ciclo da chuva que sempre se renova. Refloresce em pétalas vivas, e tua direção é natureza morta, reinventada sempre que nunca a controlamos, pois não temos tal arbítrio. Por tais pesares, revelo-te que teu amor talvez não será eterno a quem lhe proporciona afago matinal, entretanto, o teu amar será eterno dentro de si: reflorescendo, reinventando e caminhando para uma nova direção… Seja ela qual for.


(via metafrasta )

segunda-feira, novembro 21

Bela flor,

Nasceu na serra e ainda muito nova foi transportada para o litoral. A brisa do mar coloriu seu miolo de flor campestre. Recebeu água fresca em um jardim tranquilo. 
Após um inverno rigoroso, vieram as chuvas de verão e uma mudança brusca de habitat aconteceu. O seu crescimento em andamento fez com que a adaptação fosse superada com tranquilidade. Embora se sentisse litorânea, de fato era uma flor dos campos serranos. Os dias eram tranquilos, ora chuva, ora sol. 
O crescimento de suas pétalas gerou a necessidade de um jardim mais amplo. Sentiu saudade do litoral. 
A adaptação seria brusca e dura, mas, porque não tentar? Até chegar ao seu estimado jardim, levou um tempo. Saíra da serra  no final do outono, o transporte foi balançado e o caminho até lá gerou uma certa bagagem. Folhas foram machucadas e sua coloração foi um pouco modificada. 
De volta ao litoral e tudo era paz. Era primavera e aquela brisa suave dava-lhe a sensação de estar em casa. Boas lembranças de quando era apenas um brotinho sempre passavam por sua cabeça, polinizou e foi polinizada. Suas pétalas puderam crescer, tomando uma superfície firme e aveludada. O claro miolo já produzia um doce pólen e encantava a todos que estavam a sua volta. 
Quebra na cadeia alimentar. O jardim todo havia sido afetado. O aroma de mudança estava no ar e gerou instabilidade. Sentiu medo e tristeza. A mudança foi feita com pesar e dificuldade, suas raízes já estavam um tanto extensas, mas aquela terra passaria por momentos de seca devido a quebra de um ciclo. 
Mais uma vez, encontrava-se na serra. A mudança era brusca e dessa vez estava lá contra sua vontade. Dois outonos se passaram. Havia sido um biênio difícil e embora suas pétalas estivessem um pouco machucadas, o último outono havia sido ameno. Dias curtos e frescos, era época de colheita.

( Karen Garcia

quinta-feira, novembro 17

Learn to fly


I'm looking to the sky to save me, looking for a sign of life. Looking for something to help me burn out  bright. I'm looking for complication, looking cause I'm tired of lying. Make my way back home when I learn to fly high. 



sexta-feira, novembro 11

Luzes de Natal,

Quando o final do ano se aproxima, o clima muda, os sentimentos mudam e os anseios são outros. O tempo é de reflexão e análise de uma fase que se encerra. 
As retrospectivas mostram os acontecimentos importantes do ano e revemos fatos que já passavam despercebidos por nossas lembranças. A época é fraterna. 
O comportamento das crianças mudam. Uns tentam melhorar pensando nos presentes de Natal, outros sonham com o bom velhinho deixando um pouco mais de esperança em suas casas.
O clima é de confraternização. As tias do interior vem para as festividades. Os planos para o ano seguinte se iniciam também. As luzes de Natal acalmam os corações e clareiam os pensamentos daqueles que pedem por um ano melhor e agradecem por toda graça que tiveram neste que se encerra.

( Karen Garcia

domingo, novembro 6

Sentado no sofá,

Você pode ficar aí, sentado no sofá, pensando no que fazer no final do dia. 
Você pode desistir, dos seus sonhos incompletos por preguiça de continuar sonhando. 
Você pode até pensar que no fim tudo se resolve, mas, se você não levantar do seu sofá nada vai acontecer. 
O tempo passa e a gente não percebe. De dia, de noite, a vida não pára. 
Pra que se apegar a esses medos? Por quê ouvir a voz que te degrada? 
Siga em frente! Você pode ser o que quiser, basta querer! Vá em frente. Apenas faça, Go!

( Karen Garcia

terça-feira, novembro 1

Tenho medo,

Depois de deixar tanto tempo meu coração habitar no Hemisfério Sul, com leves passeios pelo Trópico de Capricórno, ele agora sente a diferença do clima.. Ele tem medo de subir o mapa e assim aumentar a temperatura. Quem sabe não adoece? Ou então quebra por um choque térmico? Vai saber, tem que viver...

( Karen Garcia

quinta-feira, outubro 27

O amor pode estar do seu lado (:


 - Jota Quest, Do seu lado

Faz muito tempo mas, eu me lembro... Você implicava comigo. Mas, hoje eu vejo que tanto tempo me deixou muito mais calmo... O meu comportamento egoísta, o seu temperamento difícil. Você me achava meio esquisito e eu te achava tão chata... Eh!
Mas, tudo que acontece na vida tem um momento e um destino! Viver é uma arte, é um ofício, só que precisa cuidado... Prá perceber que olhar só prá dentro é o maior desperdício. O teu amor pode estar do seu lado!

Que se exploda!

Antes de julgar, pense duas vezes. Tente conhecer, se informar.
As pessoas podem parecer mil coisas, cada um terá uma visão do outro.
O preconceito nojento pode te impossibilitar de conhecer uma pessoa maravilhosa! 

Se pudéssemos pegar tudo aquilo que não nos convém, amassar e jogar no lixo, seria bem fácil e prático. Em uma arrumação em seu quarto, no escritório ou na sala, quando você está fazendo uma arrumação, sempre dá uma checada no que está escrito no papel antes de jogar no lixo. 
Com as pessoas também precisa ser assim. Em todos os casos, podemos descartar ou não uma pessoa de nosso ciclo, mas, como em uma arrumação na papelada, você pode estar jogando fora um papelzinho importante sem se dar conta. Quem sai perdendo com isso é quem não dá uma olhadinha no papel antes de jogar fora. 

A pessoa pode parecer esnobe, pedante e mesquinha. Pode parecer infantil, chata e arrogante. E pode também ser tudo isso, mas, nós saberemos se formos dar uma lidinha nela antes de decidir se vamos ou amassar e jogar no lixo. 

quinta-feira, outubro 20

É preciso querer,

Torne seus sonhos realidade indo atrás deles. O impossível é mais palpável quando corremos atrás. Quando buscamos estar mais próximos. Para isso, basta querer. E fazer! 
O seu desejo não cai do céu. Papai do Céu foi muito bom quando nos deu o dom da comunicação. Ter dúvidas não é feio, todo mundo tem. É preciso ser forte para enfrentar os obstáculos.  Se você quer, vá atrás. Go! (:

O que faz bem para a vida,

Por Marhta Medeiros
Acho a maior graça. Tomate previne isso,cebola previne aquilo, chocolate faz bem, chocolate faz mal, um cálice diário de vinho não tem problema, qualquer gole de álcool é nocivo, tome água em bundância, mas não exagere... Diante desta profusão de descobertas, acho mais seguro não mudar de hábitos. Sei direitinho o que faz bem e o que faz mal pra minha saúde.
Prazer faz muito bem. Dormir me deixa 0 km. Ler um bom livro faz-me sentir novo em folha. Viajar me deixa tenso antes de embarcar, mas depois rejuvenesço uns cinco anos.
Viagens aéreas não me incham as pernas; incham-me o cérebro, volto cheio de idéias. Brigar me provoca arritmia cardíaca. Ver pessoas tendo acessos de estupidez me embrulha o estômago.
Testemunhar gente jogando lata de cerveja pela janela do carro me faz perder toda a fé no ser humano. E telejornais... os médicos deveriam proibir - como doem!
Caminhar faz bem, dançar faz bem, ficar em silêncio quando uma discussão está pegando fogo,
faz muito bem! Você exercita o autocontrole e ainda acorda no outro dia sem se sentir arrependido de nada. Acordar de manhã arrependido do que disse ou do que fez ontem à noite é prejudicial à saúde! E passar o resto do dia sem coragem para pedir desculpas, pior ainda!
Não pedir perdão pelas nossas mancadas dá câncer, não há tomate ou mussarela que previna. Ir ao cinema, conseguir um lugar central nas fileiras do fundo, não ter ninguém atrapalhando sua visão, nenhum celular tocando e o filme ser espetacular, uau! Cinema é melhor pra saúde do que pipoca!
Conversa é melhor do que piada. Exercício é melhor do que cirurgia. Humor é melhor do que rancor. Amigos são melhores do que gente influente. Economia é melhor do que dívida.
Pergunta é melhor do que dúvida.
Sonhar é melhor do que nada!

Sustentabilidade,

sustentar; defender; favorecer, apoiar; conservar, cuidar

"Papai do Céu nos deu um mundo bonito, com passarinhos e flores. Quando o sol brilha a gente pode sentar de baixo das árvores para descansar e o coração fica devagar. Mas, tem também muita árvora caída e virando fogo. Quando o Papai do Céu ver o que os adultos estão fazendo com a natureza vai ficar muito triste. Ele deu pra gente com tanto carinho... Ontem fez menos calor que hoje e amanhã deve ficar mais quente, foi minha mãe que disse... E a cada dia tem menos árvores. Por que a gente não troca?! Menos calor e mais árvore.
Na casa da minha avó tem um jardim com muita flor, dá pra brincar de Rei das Flores. Onde a mamãe mora só tem prédio cinza. É tão chato não ter verde e nem colorido. E se a gente pintasse tudo com lapis de cor ?
Na escola eu plantei uma árvore. A professora disse que precisamos cuidar da naureza para ela não acabar. Onde os passarinhos vão morar quando não tiver mais árvore? Será que ele vai continuar cantando quando isso acontecer? Se não tiver passarinho quem vai espalhar a sementinha das frutas?
A gente precisa de cama e de mesa para dormir e comer. Elas são feitas da madeira que vem lá da Amazônia. Será que a árvore chora quando cai? Os adultos poderiam tirar e colocar outra no lugar... Acho que o Papai do Céu não ia se importar se fosse assim. Mas, ele tira e nem fala nada com ninguém. Será que ele não sabe que não tem só passarinho morando nela? Tem macaco, esquilo, plantinhas, e bichinhos. Tem tanta coisa... 
No final de semana que tiver sol, minha mãe vai me levar na praia. Mas, demora pra chegar porque a da minha cidade é muito suja e faz mal. Deve ter caído muita sujeira pra deixar tanta água suja. Os peixinhos que não nadaram pra longe morreram, mas, ninguém avisou também que aquele mundão de água não ia ficar limpa mais. 
Será que não dá pra fazer junto? A natureza ajuda a gente e a gente retribui colocando o que tiramos do lugar. Não precisa jogar o lixo no chão pra quando não chover a rua não ficar alagada. Mas, isso todo mundo sabe, eu aprendi na primeira série. Os adultos também fizeram primeira série.
Agora que eu estou na segunda série, já estou aprendendo umonte de coisas sobre natureza. A professora disse que a gente não pode tirar dela mais do que ela pode colocar no lugar depois. Ela precisa de tempo para crescer, e a gente tem que respeitar. Por que quando acabar, o que a gente vai fazer?"

quinta-feira, outubro 13

E o futuro?

Eu sonho com um mundo onde os homens se respeitam. Um mundo onde eles valorizam seus princípios e cuidam de sua saúde e do ambiente a sua volta. Neste mundo, existe paz. Pois quando o ser humano consegue se respeitar, não desrespeita o próximo. Quando valoriza os seus princípios não depreda os princípios do próximo. E cuidando de sua saúde, não vão interferir na saúde alheia. Quando as pessoas se respeitam, quando elas valorizam a vida, não estragam o que esta a sua volta. Não dizem palavras que ferem e nem levantam armas em prol do dinheiro. 
Eu não sonho apenas, eu tento fazer o máximo para tornar esse sonho realidade. Observa-se tanta globalização e o ser humano ainda não achou a cura para ele próprio. 
Me dói ver vestígios de fome, ou de violência infantil. Meus olhos se entristecem ao ver o descuido com os animais e a falta de preocupação do ser humano com a natureza. Todos são cientes que o Planeta Terra pede socorro e são tão hipócritas quando acham legal jogar um simples papel pela janela do carro. 
Falta de consciência, falta de amor. Tudo é feito visando dinheiro, luxo e benefícios. As manchetes no jornal são insistentemente sobre mortes, roubos, violência, fome. Será que as pessoas não se corroem com isso? Será que será sempre a minoria que buscará a mudança?! De noite eu peço a Deus para que o mundo tome outro rumo. Eu peço pelos que não tem coração, peço pelos que não tem escrúpulos na hora de tomar suas atitudes desmedidas contra o próximo. Eu peço para Deus que ilumine o coração destes e transformem multidões.

Dom da bondade,

O seu olhar inspira paz e o sorriso presente em seu rosto, não se cansa de brilhar a cada encontro. Ele trabalha por um bem comum, não hesita aos desafios. Doa seu tempo em prol de boas causas. Ele tem bondade no coração. 
Empresário, pai e amigo. Vira a noite trabalhando, se vira em mil para ajudar. Tem os olhos aguçados para a vida. Um sentimento bom é emanado do seu semblante, algo difícil de explicar. Sei apenas que é uma pessoa especial, um verdadeiro herói.

quarta-feira, outubro 12

Eterna busca,

 Por Persephone
Vejo que todos nós, seres humanos, estamos em busca de algo... Alguns buscam a sobrevivência... Outros estão a procura de um amor... Outros de uma carreira, alguns de poder, mas o que mais me intriga é que algumas vezes na vida, a única coisa que desejamos alcançar somos nós mesmos... E porque será que isso é tão difícil para os outros compreenderem ou para nós explicarmos?

domingo, outubro 9

Dom Quixote,

Cedo desperta e logo vai enfrentar o exército inimigo, não passam de ovelhas com interior de lobos, ele bem sabe que não pode bobear. Que os dragões sejam moinhos de vento, pois ele não cessa a sua luta árdua. O mundo há de conquistar com sua lança herdada e os sonhos são inúmeros, são singelos e simples. Ele vai atrás, não hesita.
Já com a pele cansada e sem muita força nas pernas ele segue com o seu cavalo amigo, distribuindo suas ideias e algumas pancadas de cortesia.
Quem sabe a loucura consiga diminuir seu ritmo, pois a solidão nunca andará ao seu lado. Com seu jeito avesso não perde o sorriso em seu rosto, pois está em busca de algo que não sabe mais o que é. Já não sabe mais se existe, entretanto, não se importa. No fundo ele sabe que a busca é essencial.

sábado, outubro 8

Mais que uma flor,

Paralelamente a essa dureza existe uma menina que sonha. E tanta organização pode ser apenas medo de errar. Por detrás desse sorriso tem muitos desafios enfrentados e essas pequenas pernas já ultrapassaram diversas barreiras.
Os pequenos braços sonham agarrar o mundo e muitas vezes já serviram para desatar nós e unir cordas partidas. A menina sorridente também chora.
Ora menina, ora mulher. Nem barro, nem tijolo, dizia o velho. Mas, ela há de conquistar o mundo, que não seja com seus braços, mas talvez com suas palavras, quem sabe até com seu ar sonhador.

domingo, outubro 2

Simples o bastante,

Percebi que tudo estava tranquilo.
Estava tudo dando certo, eu me senti feliz.
Não era comum, eu simplesmente queria gritar ao mundo que eu estava feliz. Mas, me contive.
Eu queria disseminá-la apenas por pensamento.
Olhei para o céu e rezei. Eu agradeci e mentalizei que algumas pessoas pudessem sentir o mesmo que eu. Que pudessem compartilhar da grandeza do que eu estava sentindo.
E mediante toda aquela calmaria da beira-mar eu tive a certeza que estava no caminho certo. Essa sensação foi como uma resposta. "Valeu, Papai do Céu"

Hoje eu vou ficar em casa,

O meu celular está bem longe, não vou fazer uma sequer ligação. Não vou responder e-mails e nem me inserir nas redes socias. Não, hoje não.
Hoje quero ser um urso e ibernar durante o inverno de 24 horas, não quero saber de rua, não vou atrás de ninguém.
Hoje vou ficar comigo, me cuidar, vou me amar e ficar quietinha. Pode ser que eu atenda meu celular se ele tocar, pode ser que não. Hoje eu quero ficar comigo, quero descansar, quero fazer nada.

sexta-feira, setembro 30

Sincronicidade,

Uma vez eu li um livro. Era o meu tipo de livro, e sei que muitas pessoas pensavam assim. Esse livro foi escrito para ser o tipo de muitos, eu senti quando li a capa. Não era um livro qualquer, não dava para julgar pela capa. Ele te convidava a adentrar as páginas e viver a história.
Eu cheguei a pensar por um tempo, que era infantil demais por achar aquele livro tão especial, mas no fundo ele havia tocado o meu buraco no peito.

quinta-feira, setembro 29

Por Tati Bernardi,

Eu não espero que você seja o-grande-amor-da-minha-vida, parei de acreditar nisso… Não quero que você me faça chorar. Não quero que você seja um motivo ruim na minha vida. Você é motivo de sorrisos, razão pra eu acordar num dia de chuva e tomar banho e mudar de roupa porque eu sei que você vai passar aqui… Não quero te odiar. Não quero falar mal de você pros outros. Pras minhas amigas. Quero falar mal de você como quem ama. Pois é, ele nunca lembra de desligar o celular antes de dormir e sempre alguém do trabalho liga. Sabe, eu quero dizer isso. Que o máximo de irritação que você me provoca é me acordar de manhã cedo falando bobagens que parecem ser importantes no celular. Não quero que você me largue. Não quero te largar. Não quero ter motivos pra ir embora, pra te deixar falando sozinho, pra bater o telefone na sua cara. E eu não tenho medo que isso aconteça (eu nunca tenho), eu fiz isso com todos os outros. É só que dessa vez eu queria muito que fosse diferente. Dessa vez, com você, eu queria que desse certo. Que eu não te largasse no altar. Que eu não te visse com outra. Que eu não tivesse raiva. Que você não passasse a comer de boca aberta. Que você entendesse o meu problema com chãos de banheiro molhados pra sempre. Que você gostasse e cuidasse de mim como disse ontem à noite que cuidará. Eu quero que dê certo, não estraga, por favor. Não estraga não estraga não estraga. Posso pôr um post-it na sua carteira? Mesmo que a gente não fique juntos pra sempre. Mesmo que acabe semana que vem. Nunca destrua o meu carinho por você. Nunca esfrie o calorzinho que aparece dentro de mim quando você liga, sorri ou aparece… Mesmo que você apareça na porta de outras mulheres depois de me deixar. Me deixe um dia, se quiser. Mas me deixe te amando. É só o que eu peço.

quinta-feira, setembro 22

Hemisférios diferentes,

Uma era água, a outra, fumaça. Uma era dia, a outra, noite. Cada uma em seu universo, se encontraram depois de muito tempo. Mas mesmo assim, longe. Ambas não se misturavam. O mesmo mundo, hemisférios diferentes. Realidades diferentes.
Uma era a caçula, a outra, sozinha. Uma pedia colo, a outra, era o colo desamparado. Uma sofria pelo amor perdido, a outra, pelo não encontrado.
A outra, louca, solta, pouca, berrante, inquieta. Uma calma, dentro, silneciosa, modesta. Se completavam com seus contrastes. Se falavam por telepatia, pelas estrelas e com o coração. Ambas almas perdidas, sem direção, rumo ou estrada.
Quem sabe um dia se encontrassem e mudassem as coisas? Quem sabe... Eram gelo e fogo. O estado ameno era a junção. A mistura. Mesmo que fosse em hemisférios diferentes.

Karen Garcia

Quando eu virar luz,

Em determinados momentos as pessoas recuam. Querem parar, desistir. Voltar atrás.
Quando percebem a situação, quando temem. Quando sentem um pouco mais.
Umas volta, outras não.
Eu gostaria de explodir dentro de mim. Ficar só corpo e morrer tudo o que fosse resto.
Até alguém perceber que sou oca, até meu corpo não se aguentar mais em pé.
Quero deixar essa amontoado de ossos de lado e viver como fluido.
Virar energia, sem apegos ou medos.
Apenas fluir e irradiar.
Eu quero poder mostrar a luz para os que temem. Para que eles não desistam.
Quero ser vida.

Karen Garcia

Primavera,



Cecília Meireles

A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para recebê-la. A inclinação do sol vai marcando outras sombras; e os habitantes da mata, essas criaturas naturais que ainda circulam pelo ar e pelo chão, começam a preparar sua vida para a primavera que chega.

Finos clarins que não ouvimos devem soar por dentro da terra, nesse mundo confidencial das raízes, — e arautos sutis acordarão as cores e os perfumes e a alegria de nascer, no espírito das flores.

É só acreditar,

eu acho que preciso estudar
sobre a vida
ou então encontrar um modo diferente de viver
não um modo diferente de viver, mas, fazer algo que faça a diferença
algo que preencha esse buraco no peito
mesmo que seja uma busca interminável
eu acho que a única coisa que eu acredito é em mim 
Karen Garcia 

quarta-feira, setembro 21

Fim de inverno,

"E se eu dormir e não acordar? Você sentiria a minha falta? Alguém choraria a minha morte? Alguém notaria a minha ausência.
Tem horas, como agora, que dá vontade de desistir.. Solidão cansa. Eu não sinto falta de pessoas. Elas estão por toda a parte. A todo momento. Eu sinto falta de presença, eu sinto falta de mim.
Não quero ser uma máquina, que trabalha copiosamente a sua vida toda e no final se estraga e é esquecida. Um número, mais um. Indiferente. Despercebido.
Vou dormir. Talvez amanhã eu não acorde, acho que isso me traria um pouco de felicidade."

Setembro, 17th - 2011
Karen Garcia

Terça-feira,

Não me preocupei com o horário de despertar, mesmo assim acordei cedo. Antes de abrir os olhos apalpei a cama em procura do celular. Um bocejo, eram oito e meia da manhã. 
Aproveitei e dei uma olhada nas mensagens, sem ao menos ler, deixei o celular e fui ao banheiro. 
Nada como se olhar no espelho e ver uma feliz cara amarrotada lhe oferecendo um sorriso como "bom dia". Minha felicidade em me ver pela manhã as vezes salva o dia. Escovei os dentes vagarosamente, lavei o rosto e dei uma esticadinha no corpo! 
Um café da manhã rápido e gostoso forrou meu estômago. "Papai do Céu, obrigada por esse pão maravilhoso!" - eu pensei. Levei as coisas para cozinha, dei um beijo na Sônia e subi! 
Sabe quando um banho revitaliza a alma? Foi esse que eu tomei. Lavei até as almas penadas dentro de mim. Costumo ser bem centrada na minha arrumação, dei um jeito no quarto, troquei a roupa. Coloquei minhas coisas em uma bolsa e parti. Dei um beijo na Laura, outro na Sônia e fui. 
Na rua, resolvi coisinhas e coisas grandes. Filas, esperas. Aqueles cinco minutos que duram eternidades. Quantas eternidades em apenas uma hora! Foi o que levou para resolver o que precisava. Fui para o barco. Eu acho inadimissível fazer um trajeto de trinta minutos em duas horas! Mas, foi isso. O contraponto é que o cenário é explendido. Logo, nada melhor para pensar do que ficar a deriva por um tempo. Digo, literalmente, pois o barco ficou realmente parado para concertar algum problema durante vinte minutos. 
Uma da tarde, lar doce lar. Minha Ilha. Ufa! É uma maratona e tanto, morar em uma Ilha e estudar no continente. Nada melhor do que amigos que possam nos acolher nesses momentos. Pois o horário de barco não permite voltar no mesmo dia. Sem contar que ficaria bem tarde. 
O dia seguiu, o foco tomou outro rumo. Um pouco de trabalho, organizações. Uma palestra para uma turma de universitários. Descontração e um pouquinho de descanso também. 
A noite é categorizada por algum restaurante na orla. Nada como comer uma boa comida feita com carinho. Depois um capuccino e um bom papo com amigos. Um céu estrelado alegrando a noite e uma brisa marinha envolvendo o corpo. 

Encontros, reencontros. Ideias trocadas e compartilhadas. Boas gargalhadas. Uma ótima terça-feira! Esta, encerrada pelo relato do dia. E o cheiro do sono impestiando as narinas, entranhando os poros e pesando os olhos. Um desejo de boa noite e anseio de que a quarta seja ainda melhor. 

Carpe Diem. 
19 de setembro de 2011
 Karen Garcia




terça-feira, setembro 20

16 de novembro de 2009,

- E o mundo lá fora parou. Nada importa, eu paro o tempo e vivo os meus delírios, que são reais. Eu me sinto diferente, me sinto melhor. O instável não me abala, e minhas alegrias são vividas dentro e fora deste universo. O poder está nas mãos, brincar com o tempo, pode ser perigoso. Esse perigo é instigante. Ele desafia e zomba das suas atitudes, é insinuante.
A água que cai do céu refresca e traz alegria, alegria pela simplicidade do gesto. O contato de cada gota com o chão reproduz uma melodia que é suficiente para o meu humor. Essa melodia me faz bem.
Como eu estou?! Amena, obrigada ;* 

Karen Garcia

quinta-feira, setembro 15

Por Gabriel Careli,

Venho de longe

Mesmo ao longe, vejo teu desenho no sol a se por
Mesmo distante, sinto a proximidade do teu toque
Mesmo ausente, percebo a presença, o calor
Como se para mim sussurrassem versos e estrofes

Não te aflijas, a longa espera
Não te aflijas, pois eu aguardo
Saibas, tu, que seja ano, dia, mês, era
Saibas, tu, que por mais pesado que pareça o fardo

Sou o vento que lhe acaricia a face
Sou o calor que lhe aquece o corpo
Sou a chuva que molha teu rosto

Espero, pois sei que vai chegar
Espero, mesmo que o tempo decida dificultar
Espere, pois ainda vou ai, só para poder te encontrar

Um parágrafo in-ventado,

O vento ventou e levou com ele a minha tristeza. Ventou e secou as minhas lágrimas. Levou as nuvens e deixou o sol. Esquentou meu corpo. Sacudiu minha alma e acalentou meu coração. Retornou em brisa e me apaixonou. E com ele, a primavera estonteou meu sentimento. Me trouxe a cor, me deu mais vida. Me abriu em flor. O vento ventou em forma de tempestade, mas, eu persisti e de pé fiquei. A tempestade passou e mais uma vez retornou em brisa. Trazendo o meu sorriso. Trazendo-me a paz. O vento ventou, me envolveu. Acalentou.
Karen Garcia

sexta-feira, setembro 9

Soneto de fidelidade,


Vinícius de Moraes
De tudo ao meu amor serei atento

Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

* O homem da minha vida, declamava esse poema para mim, meu pai.



terça-feira, setembro 6

Re-amar,

Olha, eu sei que o barco tá furado e sei que você também sabe, mas queria te dizer pra não parar de remar, porque te ver remando me dá vontade de não querer parar também.Tá me entendendo? Eu sei que sim. Eu entro nesse barco, é só me pedir. Nem precisa de jeito certo, só dizer e eu vou. Faz tempo que quero ingressar nessa viagem, mas pra isso preciso saber se você vai também. Porque sozinha, não vou. Não tem como remar sozinha, eu ficaria girando em torno de mim mesma. Mas olha, eu só entro nesse barco se você prometer remar também! Eu abandono tudo, história, passado, cicatrizes. Mudo o visual, deixo o cabelo crescer, começo a comer direito, vou todo dia pra academia. Mas você tem que prometer que vai remar também, com vontade! Eu começo a ler sobre política, futebol, ficção científica. Aprendo a pescar, se precisar. Mas você tem que remar também. Eu desisto fácil, você sabe. E talvez essa viagem não dure mais do que alguns minutos, mas eu entro nesse barco, é só me pedir. Perco o medo de dirigir só pra atravessar o mundo pra te ver todo dia. Mas você tem que me prometer que vai remar junto comigo. Mesmo se esse barco estiver furado eu vou, basta me pedir. Mas a gente tem que afundar junto e descobrir que é possível nadar junto. Eu te ensino a nadar, juro! Mas você tem que me prometer que vai tentar, que vai se esforçar, que vai remar enquanto for preciso, enquanto tiver forças! Você tem que me prometer que essa viagem não vai ser a toa, que vale a pena. Que por você vale a pena. Que por nós vale a pena.
Remar.
Re-amar.
Amar.

Até o Sol raiar,

Hoje eu aprendi que momentos maravilhosos não precisam ser extremos. O singelo é maravilhoso. Não é só o contato físico que demonstra desejo. E não precisamos nos render sempre aos apelos da carne. Há coisas que podem ser mais especiais com a curiosidade do que com o sabor de ter provado. Isso dá uma deixa para viver o que a vida tiver reservado para nós. É o tempo ao tempo, a sincronicidade das coisas.
Karen Garcia

quinta-feira, setembro 1

Reação ao novo,

O ser humano se impacta com o novo. Sendo novo, diferente, incomum. Entretanto, muitas pessoas rejeitam o desconhecido simplesmente por não conhecer. Ser aluno novo na escola, é uma das piores coisas do mundo! Você é sensurado e observado a todo momento. "Tinha que ser o aluno novo". Quando você se depara com um celular novo, sente a diferença do antigo, mesmo o novo sendo mais sofisticado. Seja até uma nova interface de site, ou rede social. As pessoas sentem prazer em rejeitar o novo. Essa rejeição é devida ao apego ao que existia antes.
Vale a pena deixar-se descobrir o novo e "enjoy". Só depois disso você poderá dizer se o antigo era realmente melhor que ou novo, ou vice-versa. Sou adepta a tudo o que é novo. Gosto da adaptação. Essa busca pelo conhecimento, pelo domínio do que é novo, me instiga.

Karen Garcia

sábado, agosto 27

Por Martha Medeiros,

Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir.
Não grite comigo, tenho o péssimo hábito de revidar. Acordo pela manhã com ótimo humor mas ... permita que eu escove os dentes primeiro.
Toque muito em mim, principalmente nos cabelos e minta sobre minha nocauteante beleza.
Tenho vida própria, me faça sentir saudades, conte algumas coisas que me façam rir, mas não conte piadas e nem seja preconceituoso, não perca tempo, cultivando este tipo de herança de seus pais.
Viaje antes de me conhecer, sofra antes de mim para reconhecer-me um porto, um albergue da juventude. Eu saio em conta, você não gastará muito comigo.
Acredite nas verdades que digo e também nas mentiras, elas serão raras e sempre por uma boa causa. Respeite meu choro, me deixe sózinha, só volte quando eu chamar e, não me obedeça sempre que eu também gosto de ser contrariada. ( Então fique comigo quando eu chorar, combinado?).
Seja mais forte que eu e menos altruísta! Não se vista tão bem... gosto de camisa para fora da calça, gosto de braços, gosto de pernas e muito de pescoço.
Reverenciarei tudo em você que estiver a meu gosto: boca, cabelos, os pelos do peito e um joelho esfolado, você tem que se esfolar as vezes, mesmo na sua idade.
Leia, escolha seus próprios livros, releia-os.
Odeie a vida doméstica e os agitos noturnos. Seja um pouco caseiro e um pouco da vida, não de boate que isto é coisa de gente triste. Não seja escravo da televisão, nem xiita contra. Nem escravo meu, nem filho meu, nem meu pai. Escolha um papel para você que ainda não tenha sido preenchido e o invente muitas vezes. Me enlouqueça uma vez por mês mas, me faça uma louca boa, uma louca que ache graça em tudo que rime com louca: loba, boba, rouca, boca ...
Goste de música e de sexo. Goste de um esporte não muito banal. Não invente de querer muitos filhos, me carregar pra a missa, apresentar sua familia... isso a gente vê depois ... se calhar ...
Deixa eu dirigir o seu carro, que você adora. Quero ver você nervoso, inquieto, olhe para outras mulheres, tenha amigos e digam muitas bobagens juntos.
Não me conte seus segredos ... me faça massagem nas costas. Não fume, beba, chore, eleja algumas contravenções. Me rapte! Se nada disso funcionar ... experimente me amar!

sexta-feira, agosto 26

Momento eternizado,

O último alarme de partida tocou. O Grande, com capacidade para mais de duzentas pessoas se prepara para sair. O destino será alcançado em um pouco mais de uma hora. A embarcação relativamente vazia carrega pessoas que voltam de suas missões.
De forma geral, todos estão a passeio pois o trajeto a ser percorrido além de extenso, é de extrema exuberância.
O Grande despede-se do continente, estamos todos indo para casa. O dia está ameno, a cidade vista do mar parece silenciosa e inerte. Já foge da memória a sensação de estar correndo contra o tempo pelas ruas com o caos que a rotina impõe.
Cada um curte a viagem de uma forma, seja com um simples bate-papo ou então a conferência dos pertences. Uns descansam e outros apenas observam a paisagem e deixam o tempo passar.
Não importa quantas vezes esse trajeto seja feito é impossível não ser reverente a imensa beleza. O mar, o céu, o verde, tudo tão vasto que parece não ter fim. Mas, tem. E essa degradação começa dentro da nossa casa.
Um vento suave nos envolve juntamente ao reflexo morno do sol. Eu poderia eternizar esse momento, eu poderia eternizar essa natureza.
Eu ambiciono uma harmonia possível, cidade e natureza. Onde o verde tem valor, onde a vida vale mais do que o desenvolvimento industrial. Eu ambiciono presenciar o dia em que o índice de respeito ao próximo seja mais alto que o de degradação ambiental.
Torno esse sonho um pouco mais real todos os dias que levanto e zelo pelo meu planeta. As maneiras são diversas, pequenos gestos contam e fazem a diferença. Quero quem sabe daqui há alguns anos, poder fazer esse passeio com meu filho e mostrar-lhe toda beleza que eu vejo hoje e fazê-lo então sentir a vontade de eternizar esse momento.
- Anita J. Valmet

Vícios em jogos,

Tudo começa como uma brincadeira. Como em todo jogo, conforme você ganha experiência, fica mais confiante. Essa confiança faz com que as apostas sejam um atrativo para deixar o jogo mais interessante. O prazer em jogar é crescente. Em pouco tempo, os lances ficam cada vez maiores e embora ainda não tão rotineiros, já é algo a ser reparado. A brincadeira segue e em algum momento nota-se que não é possível ficar sem o jogo com apostas. Ainda assim, considera-se capaz de largar quando quiser.
O problema está na confiança de achar que tem o controle da situação, que pode parar quando quiser, mas o vício se camufla e quando o jogador for se dar conta, pode ser bem tarde... E tal vício pode crescer cada vez mais fazendo com que as finanças fiquem em risco e expõe também a família e a carreira profissional.
O que será que está em “jogo” que gera a necessidade de apostar?